Ardu lança o clipe retrofuturista Dunas do Tempo

O power trio potiguar Ardu, um dos destaques da cena natalense nos últimos anos, lançou o videoclipe de ”Dunas do Tempo”. O vídeo foi produzido em parceria com o coletivo audiovisual Rua da Palha. Expoente da nova safra de bandas da cidade, a Ardu nasceu em 2018 para tirar da gaveta composições inéditas do músico João Lima, que já integrou outros tantos projetos da cena potiguar (VZL Swami, Talude e Arduíno Contra o Bando). O projeto também conta com Isa Graça (ex-Demonia) no contrabaixo e Vik Romero (Vikos e Talude) nos samples e sintetizadores. Nesses últimos anos a Ardu já lançou um álbum (Solto ou Guia da Cidade Invisível, de 2018), vários videoclipes e marcou presença em grandes eventos como os festivais Dosol e MADA, além de uma série de apresentações na capital potiguar, no interior do estado e nas cidades de Recife e João Pessoa. Agora o projeto retorna à baila com clipe bem produzido e novo material, que inaugura a nova fase que deve trazer mais singles e lançamentos.

Em seu novo clipe/single, o Ardu mete o pé no acelerador em sua fusão de chillwave e dream pop com música brasileira (sem um tiquim de carimbó – será?), emulando de Toro y Moi e Blood Orange a Jorge Ben. O clipe, dirigido por Guesc, com assistência por Luiza Oest e roteiro de Daniel Oliveira Mosca, trio que forma o coletivo Rua da Palha, conta a história de um só personagem (ARDU), que se divide em três personas (Isa, João e Vik) e que empreende uma fuga para longe de um fogo devastador, caminhando por dunas, passando sede e fome, procurando por um oásis, até achar, após longa travessia, o refúgio em seus instrumentos. O vídeo tem um aspecto de filme vintage, com um filtro amarelado, que dão o tom do calor e da estética retrofuturista, à la Mad Max, em que a busca por água do filme dos anos 80 é substituída pela busca de um oásis que ganha lugar na própria música produzida pelo Ardu, agora transformado em identidade extra-corpórea de três cabeças.

Abaixo, assista o novo clipe do Ardu, ouça o novo som e entre nesse mundo calorento e chillwave de “Dunas do Tempo”.